quinta-feira, 10 de dezembro de 2015

Entrevistando: CRISTINA CHEN


Cristina Chen
Autora dos livros: Autoconhecimento um romance / Casamento à prova de amantes 


Cristina Chen é psicóloga com pós-graduação em Dependências, Abusos e Compulsões e formação em Coaching de Bem-estar e Saúde. Como escritora tem como objetivo levar temas atuais ao público de forma leve e acessível, sempre com uma pitada de Psicologia ou Autoajuda.
Página no Facebook: facebook.com/escritoracristinachen


ENTREVISTA:
1. Como foi o seu início na literatura? Quais as dificuldades e apoios que você obteve para que sua primeira obra viesse a ser publicada oficialmente?

O meu início na literatura foi de forma totalmente inesperada. Estava com uma filha pequena para cuidar e um pouco restrita profissionalmente por conta disso. Não aguentava mais ficar “parada”, então comecei a orar pra Deus me pedindo que ele me desse uma luz. E foi assim que, um dia estava tomando banho e uma cena veio à cabeça muito fortemente. Saí do chuveiro e, como se estivesse sendo “empurrada”, sentei na frente do computador, escrevi a cena e só parei 3 semanas depois, quando a história ficou pronta – havia nascido ali o meu primeiro livro “Autoconhecimento um romance”. Esta cena está no primeiro parágrafo do meu livro.

Dificuldade que encontrei para publicar a primeira obra: não sabia nada sobre publicação de livros, tive que pesquisar do zero.

(Até lançar o primeiro livro nunca tinha pensado em me tornar escritora de fato, apesar de já ter passado pela minha cabeça uma ou outra vez escrever livros técnicos de Psicologia ou quando lia romances e me divertia, às vezes pensava: “E se fosse eu escrevendo?”.)

Apoio: quando escrevi o livro (que para mim não era um livro, mas apenas uma história), achei que o resultado tinha sido bom. Dei para duas pessoas lerem e elas tiveram uma reação muito positiva: “Você escreveu um livro muito bom! Você tem que publicar”. Pensei: “Aé?! Então vou mandar pras editoras.” Enviei a história para 11 editoras mais por diversão e para ver saber se ela realmente boa como nós imaginávamos. Em 2 dias recebi resposta afirmativa de 3, que por sinal avaliaram muito bem a história. Fechei com uma delas. Concluindo, o grande apoio inicial veio dessas 2 pessoas e das 3 editoras que acreditaram em mim.

2. Como surgiram as ideias iniciais parar criar "Casamento à prova de amantes" e "Autoconhecimento um romance"?

Na verdade, não surgiram – quer dizer, não surgiram no sentido de não ter sido algo pensado, planejado. 


O “Autoconhecimento um romance” surgiu do jeito que eu escrevi acima.

O “Casamento à prova de amantes” surgiu assim: orei pra Deus pedindo que continuasse me guiando profissionalmente. Terminei a oração, abri a janela do quarto e um vento bateu muito forte no meu rosto e veio uma cena à cabeça. Estranhei ter surgido aquela cena dentro de mim. Novamente, como aconteceu com o outro livro, sentei na frente do computador, escrevi a cena e depois de 2 semanas o livro estava pronto.

Tanto em uma história quanto a escrita fluía continuamente, sem que eu tivesse que parar pra pensar nas cenas, personagens, etc.


3. Como tem sido sua relação com os leitores e quais tem sido os feedback's do público sobre suas obras?

Os meus primeiros leitores foram amigos e conhecidos. Com o segundo livro, começou a surgir leitores que não conheço, blogueiros literários querendo resenhar o meu livro e pessoas querendo divulgar as minhas obras sem pedir nada em troca. A minha relação com todos eles é de muita gratidão e carinho. Sempre que alguém me ajuda, desejo mentalmente que esta pessoa receba o dobro de coisas boas em troca pelo bem que me fez.

O feedback tem sido muito positivo: o que mais me falam é que os meus livros são rápidos e fáceis de ler (por isso, as pessoas que não têm tempo pra ler ou odeiam ler, leem os meus livros e adoram); são simples, mas com sutilezas e mensagens profundas pra reflexão; são histórias cotidianas muito criativas, divertidas, inesperadas, com uma fluidez gostosa e que instiga a curiosidade para saber mais e mais; ao fim dos livros sentem um gostinho de quero mais e sentem-se esperançosas e motivadas. Houve dois feedbacks um pouco mornos: um europeu que não acredita que as pessoas ligam tanto assim para a beleza como se mostra no “Autoconhecimento um romance” e uma outra pessoa que sentiu que os meus livros poderiam continuar para além do fim da história.

4. Seus livros possuem pegadas de autoajuda, mostrando crises reais do ser humano e caminhos opcionais para solucioná-los, baseado nisso, você acredita estar ajudando muitas pessoas com suas histórias, sendo assim, somando de forma benéfica na vida delas?

Sim. Vários leitores me procuram para contar o bem que o meu livro fez a eles, como por exemplo: uma mulher que estava com câncer e depois de ter lido o meu livro entendeu o motivo de sua doença e começou a fazer terapia para curar-se (e já estava sentindo os efeitos positivos disso); uma outra que estava em um casamento destrutivo e que após ler o meu livro, conseguiu sair dele e disse que foi a melhor coisa que fez para si mesma (inclusive, grifou algumas partes do livro para reler toda vez que sente que necessita de um apoio emocional); um casal cujo marido leu o livro e depois disso mudou completamente a forma como tratava a esposa e se redescobriram; uma pessoa que disse “Obrigada! Obrigada! Obrigada por me entender! Com o seu livro eu vi que você sabe o que estou passando, como é difícil ser mãe e esposa.”; dentre outros.

5. Virá novas obras literárias, suas? Quais os seus novos projetos?

Tenho ideia para mais uns 3 livros. Nada concreto, apenas aquele “pulsar” dentro da cabeça que vira e mexe vem, mas ainda não sentei para dar asas a ele. Na verdade, estou refletindo sobre o que farei no próximo ano.

6. ALGUMAS editoras renomadas estão apostando em obras nacionais com mais força, em comparação há três, quatro anos atrás. O que você tem a nos falar sobre isso? Você acha que os leiteiros brasileiros estão começando a valorizar a literatura nacional com mais intensidade ou as editoras perceberam que os gastos são menores ao publicar um nacional?


Não sei bem a resposta para esta pergunta. Muitos escritores decidem usar pseudônimos estrangeiros para aumentar as vendas – e isto realmente funciona – então será que os brasileiros estão valorizando a literatura nacional? E do lado das editoras, elas perceberam que podem ganhar um bom dinheiro com os autores nacionais desconhecidos/pouco conhecidos que se sentem lisonjeados e veem a aposta das editoras como a realização de um sonho e, portanto, aceitam pagar um bom valor para que elas publiquem seu livro. Os autores gastam o seu dinheiro com a esperança de que serão apoiados pelas editoras e a realidade se mostra bem diferente do sonho. Ou seja, não sei se as editoras perceberam que os gastos são menores ao publicar um nacional ou viram que podem lucrar muito com os autores nacionais.

7. Quais os seus autores favoritos?

Adoro o Luis Fernando Veríssimo – divertidíssimo e muito modesto.

8. Qual o seu maior sonho e sua maior gratidão?

Maior sonho: conseguir ajudar as pessoas através da Psicologia, levando mensagens de esperança e promovendo o bem-estar e mais alegria para a vida das pessoas.

Maior gratidão: todos, todos, todos os leitores, blogueiros literários e pessoas que compram, leem e divulgam os meus livros. Sem eles, o escritor não chega a lugar algum.

9. O que a escrita representa pra você?

Uma forma de extravasar toda a criatividade que parece que vai explodir dentro de mim. E a forma que encontrei por enquanto de me conectar aos outros para lhes ajudar.

10. Qual dica ou conselho você deixa para quem deseja iniciar uma carreira como escritor?


Reflita: “O que te move na escrita?”; “Por que quer ser um escritor?”. Se for só porque gosta de escrever e sente necessidade de se expressar, talvez você não precise publicar livros e sim ter um blog ou um diário, por exemplo. Se você tem paixão pela escrita e quer fazer dela sua profissão, talvez valha a pena publicar suas obras (mas veja o item 4 desta resposta).

Se você quer comercializar a sua obra: pesquise bastante todas as alternativas de publicação, vendo os prós e contras. Afinal, isso vai mexer com o seu bolso.

Passe suas histórias para outras pessoas lerem – nem sempre o que acreditamos ser o máximo é e o contrário também é verdade. Saber escrever bem e se expressar claramente é fundamental. Claro que se você realmente decidir publicar um livro, poderá ter contratar um profissional para corrigir erros de Português, mas uma coisa é corrigir erros gramaticais e ortográficos, outra coisa é não conseguir nem se expressar direito. Se este é o seu caso, faça cursos, leia muito e escreva para treinar.

Não pense que você vai ficar riquíssimo apenas vendendo suas obras. Não quero ser pessimista, apenas realista. Sim, existe a chance de você ser fera e se dar muito bem com os seus livros, mas como bem disse o L. F. Veríssimo em uma entrevista que participei: “O único autor brasileiro que vive da escrita é o Rubem Fonseca. Todos os outros, inclusive eu, têm que fazer coisas paralelas para sobreviver.” E isso pode incluir: emprego em paralelo, dar cursos, palestras, etc.

Se o seu sonho é ser escritor pela paixão que tem pela escrita, não desista! Nada vale mais a pena nesta vida do que seguir sua paixão, seu sonho. Sem contar que está comprovado cientificamente que escrever pode até curar doenças.


***
Cris, deixo este último espaço para você nos deixar uma palavra. Fique a vontade.

Adoro esta frase escrita por Etta Turner:

“Em um mundo em que você pode ser qualquer coisa, seja você mesmo.” 


Não tente imitar, copiar, ser igual à outra pessoa. Isso não vai funcionar. Só vai te trazer frustração e o esforço que você vai dispender para tentar alcançar esse patamar, você poderia estar usando para mostrar ao mundo o que você é com tudo que tem de bom e mais maravilhoso!

Linda, muito obrigado por realizarmos, juntos, essa entrevista. Você é mega talentosa e uma peça valiosíssima em nosso ramo literário, pois és uma escritora de mão cheia. Aprendi muito sobre a vida, em seus livros e, essa entrevista só enriqueceu esses aprendizados. Muito feliz por essa parceria, conte comigo!







2 comentários:

  1. Obrigada a você, Patrick, pela oportunidade, parceria e carinho! Curtindo muito o seu blog 😍

    ResponderExcluir

© CORUJANDO NOS LIVROS - PROIBIDO CÓPIAS. TEXTOS E IMAGENS POR PATRICK.
ENCOMENDE SEU LAYOUT COM: MICHAEL VASCONCELOS.
imagem-logo