sábado, 23 de janeiro de 2016

Autor Entrevistado: JOSUÉ MATOS

Autor Josué Matos
Analista de sistemas por formação, sempre tive paixão por livros.
Em 1997, em meio a grandes decisões do início de minha idade adulta, resolvi iniciar meu primeiro romance, uma ficção científica com seres de outro planeta e sua ligação com o misticismo de nossa raça.
Em 1999, ainda sem ter concluído meu romance, recebi um duro golpe da realidade, minha mãe veio a falecer. Forçado a tornar-me homem em 24 horas, tive minha vida mudada por completo. Meu romance, se perdeu juntamente com meus sonhos.
No ano de 2011, com a alma mais tranquila, decidi resgatar meu antigo desejo. Mais maduro, me dediquei a ficção científica e romances policiais. 
Em 2014 publiquei meu primeiro livro policial, e em 2015, o primeiro de ficção científica.
"Escrever é uma aventura, viajar pelas letras uma diversão..."

ENTREVISTA

1. Como foi o seu início na literatura? Quais as dificuldades e apoios que você obteve para que sua primeira obra viesse a ser publicada, oficialmente?
Olá, gostaria de agradecer ao convite para entrevista. Sinto-me honrado e feliz por ter sido convidado pelo seu excelente blog. Essa é uma pergunta que me toca muito, sempre respondo a mesma coisa, devido ao fato de ser uma sincera ação de agradecimento e homenagem a minha querida mãe. Quando criança existiam vendedores de livros. Pessoas que colocavam um catálogo de títulos numa pasta e saiam visitando as casas das pessoas. Em um dia especial um deles bateu a porta da casa de minha mãe, trazia sua pasta e seus catálogos de sonhos. Fiquei fascinado, meus olhos brilhavam de fascínio pelas obras. Ao ver aquilo, minha mãe, uma mulher de poucas posses, fez um incrível esforço financeiro para me comprar três livros. Quando os livros chegaram em casa pelo correio, ela fez questão de fazer uma festa. Com um beijo carinhoso me disse: “Meu menino, isso aqui não é só papel e tinta, são portas para outros mundos, asas para seus sonhos. Nunca desista deles. Eu te amo, filho”. Fico emocionado até hoje com essas palavras. O saudosismo vem a tona, como ela foi importante para mim. Como sua humildade me ajudou a formar meu caráter. Quanta falta sinto dela...
A decisão de escrever um livro partiu de um desejo de realização latente desde a época colegial. Antes de iniciar meu primeiro livro, busquei me aprofundar no mundo da escrita, fiz workshops, li textos técnicos. Isso tudo me ajudou bastante a transpor minha ideia para o papel. Do momento que digitei o primeiro caractere na tela do computador até o último, se passaram três meses. Para publicá-lo, demorei 3 anos. Não acreditava que a história era boa. Só após amigos me incentivarem é que decidi me aventurar no mercado literário. A primeira dificuldade que você encontrará, é achar uma editora realmente séria que lhe dê o tratamento que você merece. O mercado está cheio de editoras fajutas que pegam o dinheiro do autor e entregam 10% do prometido. Infelizmente. Após isso, tem a dificuldade de vender o livro. Como você é um autor novo e, ainda, desconhecido, tem que ralar muito para vender.

2. Como surgiu a ideia inicial para a criação de "EU, INABALÁVEL" e "FEY - O ENIGMA DE UR"?

Sempre gostei de ficção policial e científica. Para escrever o “EU”, tomei como inspiração os noticiários dos jornais. Diariamente vemos tanta violência e barbaridades cometidas por essa raça, que de nada tem de humana, que não faltam histórias de horror para um livro. Expor tabus foi um dos objetivos, além é claro da solução do mistério. Com relação a “FEY”, minha inspiração clara foi o filme Matrix. Não me refiro a história em si, mas ao argumento usado, que foi absolutamente genial.

3. Vários elementos, fatores, situações, entre inúmeras coisas, podem nos servir de inspiração nesta vida. Com base nesta afirmação, existe algo que te inspira a criar histórias e passá-las para o papel de forma tão limpa, inteligente e criativa ?

Escrevo por amor, minha inspiração vem de todos os lados, desde quando saio de casa para trabalhar até o retorno a noite. Cada ação visualizada no meu dia a dia, me serve de inspiração para uma história. Tenho várias ideias de histórias, anoto tudo para, quem sabe um dia, transformar em livro. Quando determino que essas ideias irão virar livro, tenho sempre em mente a criação de histórias que façam o leitor pensar, que o tire de sua zona de conforto. Esse é meu objetivo, por isso escrevo.

4. Seus personagens em geral são bem criados e possuem personalidades vivas e específicas, nada muito longe da gente, por isso nos identificamos muito com alguns e até nos confundimos se adentramos na história ou se eles vivem em nosso mundo real. Existe algum personagem que você mais se assemelha em atitudes, personalidade e caráter (Embora eu esteja cansado de ler e ouvir que todos os personagens possuem um pouco do autor, kk.)? Nos fale sobre isso.
É difícil responder a essa pergunta sem ser suspeito (risos). Geralmente procuro colocar coisas em que acredito, nos protagonistas e coisas que acho que nunca deveriam existir, nos antagonistas. Sempre haverá o dilema do bem contra o mal, todavia é bom deixar claro que ambos coexistem dentro da gente. Saber usar o lado certo demanda um grande autoconhecimento. Busco isso, tento passar isso nos livros.

5. Além dos livros que você já tem publicado, quais os seus novos projetos? O que podemos esperar de Josué Matos em 2016?
Com relação a livros, pretendo lançar continuação do livro FEY na Bienal de São Paulo e, se conseguir, lançar o segundo livro dos agentes Valéria e Marcos.

6. ALGUMAS editoras renomadas estão apostando em obras nacionais com mais força, em comparação há três, quatro anos atrás. O que você tem a nos falar sobre isso? Você acha que os leiteiros brasileiros estão começando a valorizar a literatura nacional com mais intensidade ou existe outro campo nesta jogada, que nós desconhecemos, por exemplo: questão financeira (Menor custo para publicar um nacional em comparação há um livro estrangeiro.)?
As editoras tradicionais continuam com a mesma fórmula, só apostam em escritores já conhecidos, ou pessoas com grande público (blogueiros e youtubers) ou ainda ganhadores de prêmios literários. Acredito que isso não vá mudar, muito pelo contrário, irá se acentuar mais ainda em 2016 devido a crise que o país atravessa. O que vejo em relação aos nacionais é o crescimento das chamadas editoras independentes. Essas sim investem no autor nacional, o problema é que muitas visam a exploração do autor. O autor iniciante deve ter muito cuidado para não cair em uma armadilha e se arrepender após ter seu livro publicado. Com relação aos leitores, enxergo uma mudança positiva que tem haver com a oferta de literatura nacional de qualidade. São tantos autores nacionais bons que é impossível um leitor brasileiro continuar com preconceitos. Aliás, se um leitor tem preconceitos, é porque precisa ler mais...

7. Sabemos que você é um dos responsáveis pela Editora PenDragon, esta que iniciou em outubro de 2015. Embora a editora seja "novinha" no mercado, já vem apresentando um poder grandioso e galgando espaços significativos entre as demais. Existe algum patamar que vocês, profissionais da PenDragon, querem alcançar e dizer, por exemplo: "chegamos onde queríamos chegar"?
Sim. Queremos nos firmar no mercado literário nacional estando presentes nas principais livrarias do país. Além disso, queremos ser referência no mercado editorial como uma editora séria e honesta que realmente trata o autor com todo o respeito e atenção que ele merece. Em 2016 queremos ampliar nossa rede de divulgação e atingir públicos cada vez maiores. O principal passo foi a confirmação de nossa presença na Bienal de SP 2016 com estande de 40m2. Esse é o principal investimento de divulgação da editora para este ano e sabemos que teremos resultados extraordinários, tanto para a editora quanto para os nossos autores.

8. Quais os seus autores referenciais quando se trata de escrita ou literatura em geral?
Para mim, Aldous Huxley, Agatha Christie e Stanisław Lem.

9. Qual o seu maior sonho e sua maior gratidão?

Além de escritor sou também roteirista. Meu maior sonho é ter um de meus livros, roteirizados por mim, transformado em uma série ou filme. Sou grato a tantas pessoas que direta ou indiretamente me fizeram a pessoa que sou e onde cheguei. Se existe gratidão maior, essa seria para minha amada mãe, pelos motivos já descritos aqui.

10. Qual dica ou conselho você deixa para quem deseja iniciar uma carreira como escritor?
Escreva por amor. Se você tem como objetivo ganhar dinheiro com livro aqui no Brasil, desista agora. Digo isso pois enfrentamos inúmeras dificuldades e as derrotas são infinitamente maiores que as vitórias. Então, o que o faz continuar é o amor pela escrita. Se você ama escrever, se sente feliz com isso, então te incentivo a escrever um livro. E, se for esse o caminho que você quer seguir, você tem que se preocupar e muito com a qualidade. Os leitores merecem um serviço feito com muita dedicação e cuidado.
_
Deixo esse último espaço para você nos deixar qualquer recado. A palavra é toda sua, Josué.
Gostaria de agradecer ao Patrick pelo convite para a entrevista e pelo apoio dado aos autores nacionais e a nossa literatura. Por fim, gostaria de passar a mensagem para todos que tem um sonho na vida, acredite e batalhe por ele, não deixe que ninguém te diga que não é possível, pois o que você precisa para conseguir está dentro de você, basta apenas encontrar.
Eu que agradeço por você ter respondido nossas perguntas com tanto carinho. E mais uma vez, obrigado pela parceria.
***
http://www.editorapendragon.com.br/#!catlogo/cjvf 
Estes são os livros do autor Josué Matos, enviado pela Editora Pendragon para o Corujando nos Livros.
Quer adquirir estes livros? 
Super fácil! Basta clicar na imagem ao lado e ela te conduzirá ao catálogo no site da editora Pendragon. Por lá você conseguirá comprá-los. 
 

6 comentários:

  1. Uma bela entrevista. Obrigado Patrick.

    ResponderExcluir
  2. Emocionante entrevista! Parabéns ao autor Josue Matos e a você Patrick, pela grandeza de suas perguntas! Bravo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cristiane, muito obrigado pelo carinho e gentileza. o/ Deus abençoe.

      Excluir
  3. Fala Patrick, vim prestigiar o teu blog novamente e me deparo com essa mega entrevista. Ficou perfeita. Josué é um cara fantástico, muito bom conhecê-lo um pouco mais.

    Parabéns e sucesso ao amigo Josué.

    Parabéns a você também Patrick, o blog está show!!!

    Abraços.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Léo, agradeço por seu carinho. Você está com um ótimo trabalho também, sou super teu fã. Abraços e estamos juntos nessa caminhada. o/

      Excluir

© CORUJANDO NOS LIVROS - PROIBIDO CÓPIAS. TEXTOS E IMAGENS POR PATRICK.
ENCOMENDE SEU LAYOUT COM: MICHAEL VASCONCELOS.
imagem-logo